sexta-feira, 30 de junho de 2017

A melhor coisa sobre o segredo é que ele não era real


Enquanto zerava The Last Guardian pela primeira vez e via alguns vídeos do jogo no Youtube eu me deparei com um vídeo relacionado que falava do "final secreto" e como liberá-lo. No final das contas era mais uma cena pós-créditos do que um final secreto de verdade, mas o que importa é que quando eu li o nome do vídeo tudo que eu pensei foi "Poxa, mas que sem graça".

E depois eu parei para pensar: por que um final secreto, algo que muitos procuraram no SotC, seria algo sem graça agora? Então eu percebi que o segredo nunca foi importante, o que importava era procurar por ele. Na verdade, a melhor coisa sobre o segredo foi o fato dele não existir.


Afinal, sejamos realistas. É difícil esconder algo de milhares de pessoas e a Team Ico não é formada por gênios do mal. Qualquer segredo que eles colocassem no jogo seria descoberto em semanas. E qual seria a graça de começar a jogar e encontrar o detonado do "segredo" em trocentos sites?

Seria a mesma graça do Jardim Secreto. A gente descobre, vai lá e em 10 minutos não tem mais o que ver, o que falar ou o que procurar. A graça do segredo sempre foi mergulhar nas teorias e tentar descobrir algo a mais.

Ico então é um exemplo ainda maior. O jogo tem final alternativo, arma secreta e até um sabre de luz. UM SABRE DE LUZ! Mas quem se importa com eles? Ninguém, porque quando nós começamos a jogar eles já estavam lá, então se tornaram coisas comuns.


Shadow of the Colossus, por outro lado, não tem nenhum extra que exija uma descoberta do jogador a não ser o Jardim (que quase nem conta, está até no artbook), mas o jogo inspira essa busca por algo a mais. Se o Jardim Secreto não nos contentou, passamos a buscar um jeito de alcançar o topo da Shrine of Worship.

E assim começaram várias buscas. Um 17º colosso, o topo da SoW, final alternativo, até o Black Bird. Dois anos depois do lançamento do jogo começou a "Quest for the last big secret", provavelmente a maior comissão em busca do segredo, que juntou inúmeras pistas e tomou a dedicação de muitos jogadores, rendendo centenas de páginas de discussão.


As buscas acabaram e não chegamos a nada. Mas ao olhar para trás, acredito que ninguém vê isso como um tempo perdido buscando algo que não existia. A busca pelo segredo foi um dos fatores que nos motivou a passar ainda mais tempo em um jogo que gostamos muito. 

Elaboramos teorias, juntamos pistas, analisamos dezenas de detalhes que passariam despercebidos em outras ocasiões. Assim acabamos descobrindo muita coisa que, embora não fossem extras, só contribuíram para a nossa experiência com o jogo. Poderíamos fazer uma lista gigantesca de descobertas do Pikol, Nomad e outros.

Por isso acredito que ninguém se decepcionou quando percebeu que o segredo não existia. Foi uma jornada tão legal que não encontrar o destino não foi um problema. Eu só fico imaginando quando teremos outro jogo que nos fascinará desse mesmo jeito.

3 comentários:

Douglas Oliveira

Não vai ser diferente com o remake. Não podemos hackear um jogo de PlayStation 4 como fazemos hoje com alguma antiguidade do PS2. Me pergunto o que o Nomad vai passar tentando descobrir algo quando ele for jogar o remake hahaha

Dodô

Eu sempre (depois de cair a ficha que não existia black bird, 17° colosso, final alternativo e outras coisas) quis engolir que o Jardim Secreto era o segredo, apenas para ter na minha cabeça de que "pelo menos havia algum segredo". Mas isso não faz sentido, até porque o Jardim Secreto aparece no final do jogo. E agora realmente eu olho pra trás e penso: Valeu a pena!

marcio

disse tudo,bons tempos esses !!!!